• EDUCAÇÃO
  • Minimanual virtual Planserv

Banda de Música

banda

HISTÓRICO DA BANDA DE MÚSICA DO CORPO DE BOMBEIROS

Embora não se tenha um dado preciso sobre a criação da Banda de Música do Corpo de Bombeiros, tomou-se por base a data de 22/06/1914, conforme Boletim da Corporação de 25/06/1914.


A sua história se confunde com a do próprio Corpo de Bombeiros no tocante à organização temporária; segundo o relato do Sr.Cel. BM Peryandro de Oliveira Barreto, profundo conhecedor da história da Corporação, além de músico, o qual pertenceu à Banda dos Bombeiros. A primeira aparição da Banda em público deu-se no ano de 1914, quando houve o aniversário do Intendente (Prefeito) Sr. Júlio Viveiros Brandão; uma ideia do 1º SGT da Guarda Municipal Vitorino Liberato Palma, que com suas habilidades musicais, conseguiu reunir um grupo de 18 músicos, todos com instrumentos próprios. Eles permaneceram na corporação como amadores, submetendo-se a um regulamento publicado na Ordem do dia nº 263, do Boletim de 24/12/1914; com base nestas informações não resta dúvidas de que o fundador da Banda de Música do Corpo de Bombeiros foi Vitorino Liberato Palma – 1º SGT da Guarda Municipal de Salvador.


Bastante emocionado com a surpresa, o Sr. Intendente, disponibilizou recursos, e autorizou ao Comandante a compra de mais instrumentos em casas de penhores ou até em mãos de particulares, para completar a Banda de Música. Porém, não foram encontrados para aquisição os seguintes instrumentos: bumbo, caixa e pratos. Nenhum dos músicos tinha tais equipamentos, por isso não puderam ser aceitos nas nossas fileiras. Salienta-se que mesmo com o instrumental heterogêneo, porém ajustável, a banda conseguia se apresentar em coretos, procissões, jardins, solenidades etc. Cumpriu inúmeras Ordens de Serviço Interno, assinalando-se algumas: em 14/07/1914, a Banda formou as 05 horas para o hasteamento e às 16 horas efetuou uma retreta na frente do quartel.


A reorganização da Banda de Música ocorreu em data de 19 de janeiro de 1932, através de Ato do Prefeito da Cidade de Salvador. A Banda de Música é também denominada “Banda de Música Maestro Wanderley” que era filho do então Cap PM João Antônio Wanderley, maestro e regente da Banda de Música da Polícia Militar da Bahia. O Ten. Claudionor Wanderley exercia a função de contra mestre da Banda de Música da PMBA e foi aprovado em concurso para regente da banda de música do Corpo de Bombeiros da cidade do Salvador, na data da sua criação, ingressando na Corporação no posto de Tenente.


Em abril de 1935, com apoio da Prefeitura da cidade do Salvador e de autoridades civis e religiosas, esta BM deslocou-se com destino ao Estado do Rio de Janeiro, levando como convidado especial o saudoso maestro e compositor Estevam Moura. Foram feitas várias apresentações no Teatro Municipal Cecília Meireles, executando dentre outras peças musicais, a Sinfonia do Guarani do maestro Carlos Gomes, e isto sem fazer uso das partituras. Foi aplaudida de pé pelos expectadores e elogiada pelas autoridades presentes.


Vários outros músicos de renome administraram a Banda de Música do Corpo de Bombeiros da Cidade do Salvador, a exemplo do Major Norberto de Aquino (Maestro Xaxá), Cap. Cesário Paulo de Souza Amorim, Ten. Armando Santos e outros.


Com a incorporação do Corpo de Bombeiros da Cidade do Salvador à Polícia Militar do Estado da Bahia, em 1983, a Banda de Música passou a ser denominada Banda de Música Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado da Bahia, Maestro Claudionor Jerônimo Wanderley. Homenagem muito honrada ao Ten. Wanderley, que foi vitimado no cumprimento do dever na tragédia do Beco do Frazão, acontecida em Salvador, em 1935.


Com seus 90 anos de bons serviços prestados à comunidade baiana, a Banda de Música do Corpo de Bombeiros continua causando admiração aos críticos da música instrumental como uma das mais brilhantes do Estado. Tem sido aplaudida em suas apresentações, quer na capital ou no interior do Estado, onde arrasta multidões e adeptos. Seus acordes soam em forma de dobrados, valsas, sambas, boleros, marchas, tanto nos eventos religiosos, quanto nos desfiles cívico-militares. Eles ocorrem tanto nas praças públicas, como nas noites de sábado, e também nas tardes de domingo.


A Banda participou de gravações, como a do Hino Oficial do Esporte Clube Bahia. Em outubro de 1982, participou da gravação do disco do Professor e Maestro Almiro, sob a regência do Cap. PM Paulo de Souza Amorim.

 

 

Recomendar esta página via e-mail: